quinta-feira, 9 de julho de 2015

O aniversário do hambúrguer

faz 10 dias que a maçã descascada não oxida
o hambúrguer pão salada aniversaria
eu 60 anos
pele 30
mesa farta

...

um cheiro
o vizinho
a policial
almoçam
falam de
eu morto
a mesa
a ocorrência

nenhum microorganismo nos devora
esta casa
esta conserva
estes meus poderes





Fred - 16/06/2015
Coleção - Super

terça-feira, 2 de junho de 2015

Ivan, O Grande Ivan

ivan foi ao shopping / parou de vomitar / vazio
cego / não conseguia pensar
flagrou pilares espinhosos / fêmures argamassa
ferrões de cálcio / biomassa

o fogo frio do miocárdio / queima até o congelamento
fígado quadrado / tato-ângulos-retos / coluna angulada
corpo-shopping / sem frestas

ivan quis gritar / sorriu
ivan quis explodir / comeu calmamente
ivan quis chorar / comprou
viu a porta automática de saída / desesperadamente
quis

22:00 horas

...

ivan tem um líquen na bochecha / folioso / citotóxico
antibiótico / espalhafatoso / rútilo
ivan tem um câncer ósseo / abulia / ira
ivan tem um líquen na bochecha / financiado / ácido
faminto de tecidos mórbidos / tumores
ivan tem um líquen na bochecha / que salvará sua vida

...

ivan descobriu-se fecundo
depois de odisséias
perfumes brotam
enquanto
desaparece dos outros

a recompensa para o poder da visão é
a invisibilidade das feras

ivan se espalha
fragmenta-se quando quer
desaparece esporos
e gametas na atmosfera






Fred - 23/05/2015
Coleção Delirium - Super

terça-feira, 12 de maio de 2015

O poder aceso do pescador extático e sua rede inexpugnável

pescador da signosfera
sua rede esburacada
dedos firmes e seguros
seleciona
capta as coisas-vazias-cheias-de-vida
implode feridas psíquicas
se umedece de bafejo divino
esse aroma-de-divindade
estes tentáculos heróicos
que germinam de suas costelas
espirituais
essa sensação-de-divindade
acesa
seu corpo-peneira
sua quântica
não precisa de nada
retém o vácuo que precede
o Poder que o preenche
ascende
acesa
a Poesia




Fred - 09/05/2015
Coleção Híbridos -  Super

segunda-feira, 11 de maio de 2015

Uma granada, Um canto, Uma cueca

explodiu uma granada / minhas pernas não se mexem / intactas
meu coração se cansa / às vezes / de guerra
os gritos / a fuligem / os detritos
os rubros capilares oculares / o desejo de potência / a cadência
gourmetizadores / petit suisse e cartazes / revide
distrações emanam do norte
cavaleiros de são jorgebenjorges / salvem meu humor
heróis invisíveis demais / matam meus tumores / ainda
feras like pets / gênios dando migué
motoboys bozinam pizza
meus olhos na janela
futebol da tv / reflete de soslaio

...

em algum canto obscuro
um celular / uma face alegre / um policial sisudo
uma selfie / comezinha
poeira / brisa
um granada despolitizadora vai matar os dois
ouço

...

cueca por cima da calça / de mãos dadas com meu filho
flutuo
seus dedinhos não largam os meus





Fred - 14/04/2015
Coleção Delirium - Super

terça-feira, 31 de março de 2015

Um pequeno silêncio


Um pequeno silêncio

um pequeno silêncio
de alma presente
e você não está mais no mesmo lugar

um comentário na Lua
nas redes sociais aTerra
o preço dos combusíveis aLua

um raio "e se..." fura a camada de ozônio
e um asteróide-esponja "não te falei?!?"
some as águas da fonte

um profeta transforma um cálice
de água em petróleo
a praça boquiaberta engasga unissonante "oh!"

desesperado, um senhor que se disse illuminati
espalmou uma granada "não aguento mais!" na minha mão
e implodiu sem rastro nessa dimensão

dela explodiram especulações que nunca imaginei na vida
e seus estilhaços corporativos
me deram um câncer privado vitalício

quimio
medo
redenção
aprendizado

tudo por causa de um silêncio




Fred - 31/03/2015
Coleção "???"

domingo, 29 de março de 2015

Astronauta


Astronauta

um deserto acolhedor, peludinho, pelugem macia
o chão é saboroso, comestível, e como!
mas tivemos que fugir dele
daquele deserto acolhedor

buscamos o apuro técnico
as pessoas e nossas fraternidades
a indústria daquelas freguesias
nos deu açúcares até
ainda áridos

tentamos estabelecer os cenários
que nossa imaginação podia conciliar
navegamos a realidade como sedimentação de rios de pensamento
beleza e desnutrição ornamentam aquele deserto acolhedor

a maciez a gostosura o tesão o paladar
as cirurgias plásticas as zonas erógenas
os perfumes os açudes as fontes e águas termais
alguns não aguentavam mais

prédios pirulitos multicoloridos / escolas balas macias e azedinhas
trabalhos sobremesa / robôs preguiça obesa
passatempos bobagens de destreza / exclusão-beleza!

rastejantes daquela distopia saborosa
flutuávamos dissidentes àquela utopia glitterosa

tivemos que atracar por entre nuvens relampejantes
o conforto da estação espacial
ainda nos conectava àquele deserto acolhedor
mas conseguimos uma roupa especial

e lá, fora da nave, bem acima
sobre as nuvens relampejantes em que atracamos
avistamos uma cabine flutuando por entre estrelas...
o odor do desconhecido... eriça
acima daquele deserto acolhedor

adentramos seu ambiente de tom salmão
emanando sutis ondas de satisfação
e tivemos vontade de tirar as roupas herméticas
forças gravitacionais, gramado macio, formigas, flores
verossimilhanças afins
e entreaberta
uma porta de saída
.
.
.
.
finalmente / ufa! / fim de jogo




Fred - 29/03/2015
Coleção Gameplay

domingo, 8 de março de 2015

Namorados

ela com suas íris em movimento
cintilando coloridas
fogaréu incrustado, talento

ele no mais profundo penhasco de si
mãos guarda-chuvas amparando a fuligem
cintila-se

felicidades
que suas glândulas não suportam produzir

olhos semicerrados
enxergam por outros
cordéis sutilíssimos, roucos

retinas compartilhadas
ela modifica o espectro de leitura
e suas íris turvam-se em espiral

ambos acessam outros pares
e se dão conta de seus brilhos, cardíacos

namoram-se
se trocam
se respeitam
se gozam
pacificam-se
transpõem-se
e
molificam seus corpos

um telepata federal à paisana perscruta
vai que é terrorismo... ou espionagem...
cê acredita?




Fred-08/03/2015
Coleção Híbridos - Futuro Desconhecido

quarta-feira, 4 de fevereiro de 2015

Branco

o mundo estava transfigurado
alvacento-acinzentado / encarquilhado / seco de cores / dissonante / ondulante
duvidoso / ameaçador / e as pessoas andavam vacilantes / assustadas
trombantes

até que surgiram algumas pessoas luzeiras
plásticas / enbranquiçadas / leves / silenciosas / afáveis
curiosas...!?
sob seus passos, toques e inclinares,
calçadas, criaturas e as coisas todas encarquilhadas
alisavam-se / alinhavam-se / matizavam-se
feito hachuras onduladas e abundantes
que sumissem e suavizassem



Fred - 04/02/2015
Coleção Delirium